Série: A caminho dos 40 – #1

16 Jan
38408075139

Crédito da imagem: Google.nl

O que pouco de voces aqui sabem, é que eu estou caminhando para os meus “enta” tá certo faltam alguns poucos anos, mas já estou mais que na metade do caminho. E últimamente venho me questionando o rumo que eu quero dar para a minha vida.

O que eu quero viver aos meus 40 anos? Sendo muito otimista de que eu chegarei aos 40, (quero e quero muito!) afinal, nao quero morrer pelo menos pelos próximos 60 anos. (isto que é otimismo!) Tem que ser assim né!?

Mas, voltando aos nossos caminhos, já reclamei muito aqui no blog sobre a inercia da minha vida, já fiz muitos desabafos sobre meus dramas, já contei meus causos. E agora é hora de contar meus atos. O que eu quero fazer.

Eu estou me desafiando a chegar em meus 40 anos, em plenitude! (em todos os sentidos da palavra plenitude).

Tudo em nossas vidas säo ciclos, e agora eu quero encerrar este ciclo de mágoas, medos, inseguranca e dramas. O que aconteceu já foi. Tá na minha hora de me livrar deste peso morto que carrego nas costas. Levantar os ombros e caminhar olhando para a frente.

E o que nunca podemos por nem 1 segundo nos esquecer é que colhemos as consequencias de nossas atitudes, nossas escolhas e decisoes.

Nao podemos confundir nosso comportamento com nossa identidade. SegundoErikson (1972), a identidade implica em quem a pessoa é, quais são seus valores e quais as direções que deseja seguir pela vida. O autor entende que identidade é uma concepção de si mesmo, composta de valores, crenças e metas com os quais o indivíduo está solidamente comprometido. E agora perceba que seu comportamento é baseado naquilo que seus pais, colegas, amigos, ou qualquer outra influência tenha lhe mostrado, ensinado ou contado durante toda a vida. É uma história na qual você assimilou como sendo sua Identidade.

Talvez voce já tenha escutado a frase: ” A criança sempre tem uma intenção positiva por detrás de seu comportamento negativo.”

Entäo, nós adultos também. Mas muitas vezes as coisas nos são apresentadas para que aprendamos valores com ela, e näo para repetirmos ou tentar fazer igual, e nisto está a ação e reação! Eu estou focada em identificar meus hábitos e comportamentos negativos dos quais eu não consigo me livrar facilmente. Mas näo apenas me livrar eu quero entender como eles foram construídos. E erradicar de uma vez por todas.

Nunca é tarde para criar bons hábitos. Para edificar. Näo podemos ter medo das mudanças. Pois a mudança constante é a única garantia que podemos ter daquilo que a vida nos trará e nos pedirá.

E voce como quer chegar na sua próxima bolinha*?

*bolinha = aniversário redondo, 10,20,30,40,50,60,70,80,90,100….

Anúncios

12 Respostas to “Série: A caminho dos 40 – #1”

  1. Christine Marote 18 de Janeiro de 2014 às 15:07 #

    LIndo texto Lola. Estou há alguns meses da minha próxima bolinha (rs) e realmente estava pensando em fazer algo diferente com esse marco. Tentar chegar sempre melhor, que não seja só em aparencia, mas em conteúdo também. E não se assuste com os 40, é a melhor idade que vivi! =]

    • Lola Maria 18 de Janeiro de 2014 às 19:14 #

      Chris,
      Hum, tem uma carta que já deve estar voando rumo a China. Não resisti, precisei falar. risos.| – Quando é teu aniversário?
      Imagina agora eu é que preciso dizer, como assim? Com este rostinho de menina? Parabéns!
      Assustada não com a bolinha, mas com o que quero colher quando estiver nela. Então o tempo para plantar é agora. Correr atrás de tudo que protrai estes anos todos.
      Só depois da queda é que percebo o tempo que esperei por causa de nada. Mas como disse a Aninha aí em cima, graças a DEUS não é tarde demais.
      Agora eu já estou ansiosa pelos meus 40, e poder encher a boca e falar eu tenho 40 anos. E espero falar igual a você: – ” É melhor idade que vivi!”
      Beijos e uma abraço bem apertado
      Lola

      • Christine Marote 19 de Janeiro de 2014 às 12:05 #

        Oba… esperando ansiosa… e meu niver é em agosto, qdo vou receber outra bolinha…hahaha (mas não pense que é simples assim aceitar isso…hahaha)
        Vá em frente, tudo na vida é um processo, e antes, feliz ou infelizmente, a gente nunca vai saber, vc não estava pronta para encarar os fatos assim. Agora vá em frente, sem medo! =]

  2. Ana 18 de Janeiro de 2014 às 1:48 #

    Lolinha, a cada texto você está se superando! Esse em especial está lindo!
    Mas fala sério, você que enganar quem com esse rostinho hein? 🙂
    No fim das contas amiga, o que importa mesmo é o nosso crescimento interno. Porque a vida chicoteia a gente até por demais, mas das grandes chibatadas a gente tira as melhores lições. Vejo você uma mulher preparada para chegar aos enta. E eu adoro seguir exemplos de pessoas como você, então acredito que chegarei preparada também! 🙂
    Você é linda!
    um beijo da Ana

    • Lola Maria 18 de Janeiro de 2014 às 19:03 #

      Ana,
      Eu preciso agradecer e dizer que eu tenho os melhores amigos deste “mundo” virtual. Imagina, eu já estou indo para os 37…
      Tenho certeza que sim, chegaremos muito bem aos “entas” da vida. (agora até melhor, o frio ajuda a manter as coisas conservadas. kkkk)
      Agora, você tocou no ponto x da questão, pq somos chicoteados quase que diariamente e as vezes nem pelo chicote, mas pela sombra dele, mas é só quando a dor da chicotada penetra até o meio dos nossos ossos e que nós fazemos alguma coisa. A dor da minha chicotada fez com que eu acordasse. E graças a DEUS não é tarde demais.
      E linda é você. E esta beleza erradia para nós que temos a sorte de dividir com você um pouco de nós e vice versa.
      Beijos
      Lola

  3. MariaLDário 17 de Janeiro de 2014 às 13:03 #

    Lola, sei que você foi à Alemanha pra estudar.
    Não sei há quanto tempo você está aí e se está longe de toda a sua família de sangue: irmãos, pais, avós, tios, primos… eles são uma parte muito importante em nossas vidas.
    Então, eu gostaria de aconselhá-la a ser muito carinhosa e paciente consigo mesma e, se acontecer de tudo o que você almeja não for conquistado até a primeira bolinha ‘enta’, não se maltrate por isso. Nunca. Apenas continue!!
    Um beijo.

    • Lola Maria 17 de Janeiro de 2014 às 13:35 #

      Maria,
      Sim, a generosidade e paciencia é a palavra chave para alcancar esta plenitude. Que almejo para a minha bolinha.
      Vou guardar muito bem este precioso conselho e se nao atingir aos 40 ainda tem muita vida pela frente.
      Beijos
      Lola

  4. Paula Oliveira 16 de Janeiro de 2014 às 23:14 #

    Lola, que texto lindo. Vc sempre fala do quanto me admira por minha determinação, mas olha pra vc. Lúcida, forte, determinada a ser feliz e a fazer sentido na sua vida. Vc é um exemplo e te admiro demais.

    Ps jura que essa carinha de 28 vai fazer 40? Choquei.

    • Lola Maria 16 de Janeiro de 2014 às 23:25 #

      Paulinha,
      Ainda faltam 4 para minha bolinha. Mas que passam rapidinho ne.
      Mas você é sim meu exemplo e inspiração. Em sua gara e determinação jovem. Acredito que as pessoas entram em nossas vidas para nos acrescentar algo sempre. E voce me acrescenta a esperança que coisas boas sempre vem. Porque você é assim tudo de bom. E eu tenho a sorte de ter você e de poder entrar nem que seja na plateia em seu mundo. E olha que ainda vou aplaudir suas muitas vitórias! Muito obrigada minha amiga querida. Que eu faço muita questão de um dia conhecer e poder dar um abraço bem apertado. Beijos Lola

  5. marielfernandes 16 de Janeiro de 2014 às 21:33 #

    Falta muito para minha bolinha, mas adorei as falas positivas. Faz algum tempo que estou esperando isso de ti, um levanta, sacode a poeira e da a volta nos trinta. Fiquei super feliz

    • Lola Maria 16 de Janeiro de 2014 às 21:44 #

      Sim, amigo Mariel. Penso que este é o caminho para a recuperação plena. Abandonar um passado que traga sofrimento e nao acrescenta em nada no presente. So cria amarras. Agora é a minha hora de mudar, me atirar pela vida e caminhar em rumo ao futuro. Fico feliz que conto com você nesta caminhada. Muito obrigada. Beijos

Trackbacks/Pingbacks

  1. Série: A Caminho dos 40 #2 | Europa Beauty - 4 de Fevereiro de 2014

    […] post #1 da “série” A caminho dos 40, eu falei sobre me livrar do peso morto que carrego nas costas. E eu gostaria de explicar que isto […]

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: