Série: A Caminho dos 40 #2

4 Fev

No post #1 da “série” A caminho dos 40, eu falei sobre me livrar do peso morto que carrego nas costas. E eu gostaria de explicar que isto não se refere a ninguém, e sim ao meu próprio passado.

Eu sou uma pessoa muito apegada ao passado, pois é este passado que me dá sentido de “identidade” que comentei no post citado.  E gente, quando nós nos apegamos a nosso passado, nós estamos garantindo que o futuro carregue a mesma “essência”. Percebe aonde eu quero chegar?

Olha, quando carregamos esta mesma “essência”  a vida se move em círculos sem nada de novo ou criativo. A vida nos traz um reflexo do que pensamos ser.

Uma coisa é lembrarmos as coisas boas que vivemos. Refletirmos sobre os obstáculos que vencemos ultrapassamos e ter saudade das pessoas, dos lugares que ficaram para trás. Não estou aqui dizendo que temos que nos livrar do passado, de forma alguma, estou apenas dizendo que passado é algo morto, é igual museu de antiguidade sabe, você vai lá para rever as coisas mas deixa tudo lá, não leva nada para casa.

O que eu estou querendo dizer aqui é não podemos permitir que nosso passado nos impeça a caminhada presente a caminho de nosso futuro. Gosto muito da frase do ex-presidente estadunidense Thomas Jefferson: “Gosto mais dos sonhos do futuro do que das histórias do passado”.

Anos atrás eu vivi uma desilusão amorosa muito grande, foi um fato que hoje 17 anos depois, eu preciso de vez erradicar da minha vida. Eu vivi a auto-sabotagem (se escreve junto ou separado?) para os meus relacionamentos futuros, eu buscava um padrão de pessoa que eu só encontraria no “dono” da desilusão, mas não. Eu não me dei por satisfeita com todo o sofrimento que tive, e busquei mais sofrimento.

Comecei a descontar a minha insatisfação, na comida, na minha vaidade e até mesmo nos meus planos do futuro. E tudo por quê? Porque muito de nós tem a terrível mania tentar de novo algo que na primeira tentativa não foi bem sucedido. Eu fui, sou uma destas pessoas.

Sabe o que minha mãe sempre fala, aliás, meu Pai falava muito isto também. Que o pior problema da raiva é quando voltamos (a raiva) contra nós mesmos, porque ela  pode se manifesta de maneiras infinitas e muitas vezes mascarada através da inércia, depressão, ansiedade, apatia, modorra, descrença e em muitas outras formas. E isto é uma forma de auto-sabotagem.

Aqui, exemplos típicos de auto-sabotagem, e acredito que muitos de nós já dissemos uma, duas ou talvez todas destas frases abaixo:

  • “Nunca serei capaz de ter aquilo que gostaria”
  • “A minha vida nunca vai sair deste buraco”
  • “Eu nunca mais encontrarei a pessoa certa para mim.”
  • “Eu nunca mais serei feliz”
  •  “Nunca serei capaz de fazer isto”
  •  “Eu não consigo…”
  • “Eu nunca…”
  • “Eu não…”

Estou errada? Você nunca usou alguma destas frases? Se não usou, porfa me ensina a viver porque parece que eu ainda não aprendi.

Eu estou disposta a me esvaziar, me libertar do passado. A me reprogramar. Desapegar daquilo que me fez encruar na vida. Sempre andando em círculos. Sem querer entrar em questão religiosa, mas é uma citação de um livro fantástico (da época que eu conseguia ler um livro em inglês) que chama-se What Doth It Profit (De que Adianta) de Sterling W. Sill, ele fala assim:

“O perdão de Deus é muitas vezes anulado porque o pecador não perdoa a si mesmo. O que adianta Deus não se lembrar mais de nosso erro, se continuamos a reprisá-lo em nossa mente?”

Lembre-se nosso único inimigo somos nós mesmos, afinal só você saber o que é melhor para você. Não se preocupe com os outros. Ocupe-se de você. Mantenha seu foco, lembre-se que eu, você chegaremos ao lugar que escolhermos seguir.

Eis alguns pontos importantes para começar as mudanças:

  1. Disciplina não deve ser ato e sim hábito – (daquilo que habitualmente pensamos e fazemos)
  2. Policie os pensamentos de derrota porque eles reduzem a autoestima;
  3. Perdoar, não significa necessariamente a outra pessoa. Muitas vezes devemos nos perdoar. Perdoar a si mesmo pode ser muito mais urgente que perdoar ao próximo e 
  4. (não menos importante) Estabeleça prioridades; Elimine coisas sem importância; Reconheça suas limitações. (eu quero voltar a falar de cada um destes 3 últimos itens).

E para tudo o que disse aqui, apenas uma única conclusão: Só quando amamos a nós mesmos da forma correta, estamos mais qualificados para servir nossos semelhantes e conseguir aceitar melhor acerca de nós mesmos.

O Grito (no original Skrik)  Edvard Munch fonte: Wikipédia

O Grito (no original Skrik) Edvard Munch
fonte: Wikipédia

* O Grito é uma série de quatro pinturas do norueguês Edvard Munch, a mais célebre das quais datada de 1893. A obra representa uma figura andrógina num momento de profunda angústia e desespero existencial.

Anúncios

20 Respostas to “Série: A Caminho dos 40 #2”

  1. MariaLDário 4 de Fevereiro de 2014 às 23:35 #

    Oi, Lola.
    O que mais admiro em você é a sua capacidade de dividir os seus problemas publicamente. Você não se envergonha deles e, consequentemente, nem de você mesma.
    Acho vc uma pessoa muito forte e saudável.Parabéns!!

    • Lola Maria 7 de Fevereiro de 2014 às 23:18 #

      Maria,
      Sabe, eu já fui uma pessoa muito complexada em minha juventude, um dia pretendo postar sobre isto aqui no blog. Mas com o tempo, eu percebi que isto só fazia mal a mim mesma, e que ninguém poderia saber o que se passa aqui dentro de mim, para poder me ajudar.
      Então hoje, confesso que as vezes me envergonho de algumas coisas, mas esta é uma chance que tenho para pedir socorro, ajuda ou apenas uma palavra amiga que as vezes não encontro no silêncio do meu dia-a-dia.
      Agradeço de coração por todas as vezes que você encontra um tempinho para vir aqui me escrever uma palavrinha amiga. Isto me faz sentir um quentinho em meu coração.
      Muito obrigada!
      beijos e mais beijos

      • MariaLDário 8 de Fevereiro de 2014 às 14:37 #

        Por isso lhe acho forte, saudável e humilde!!!: porque você é capaz de pedir ajuda. Um beijo muito grande, Lola.
        Bom final de semana, amiga blogueira!

        • Lola Maria 8 de Fevereiro de 2014 às 19:22 #

          Maria,
          Um excelente final de semana! E um beijo e um abraço bem apertado.

  2. marielfernandes 4 de Fevereiro de 2014 às 22:38 #

    Como você tem passado? Meu bife bem passado, por favor. E, como diria a diarista diante das roupas limpas, “um dia, tudo isso será passado”. De onde vejo, o passado é para rirmos das coisas tolas que pensamos para o futuro enquanto o presente espera suas respostas. Beijo.

    • Lola Maria 7 de Fevereiro de 2014 às 23:13 #

      Mariel,
      O que seria de mim sem você aqui? Você me faz sorrir, me traz alegria. Muito obrigada por tudo isto!
      Já falei antes e repito, Você é o Cara!
      Um beijo no coração.

  3. Adranoel 4 de Fevereiro de 2014 às 11:59 #

    Sempre leio os seus post , mais acho nunca comentei porque tenho medo de fazer um comentário idiota ou sempre concordar com Paula nós seus comentários .
    Nesse último ano vc ganhou uma vida de presente ,( o joelho dodói , mas Deus sabe de todas as coisas )
    Se amando de verdade .
    Apartir do momento que comecei a pedir a Deus que fizesse a vontade dele e não a minha acredito que comecei a caminhar e a não depender das minhas dores do passado para prosseguir em frente . Não e fácil !!! Porque dizer Deus está no controle e o mesmo que dizer eu não tenho controle de nada , mais um belo dia agente entende que nunca teve controle e precisa andar por novos caminhos . Eu fico feliz em ver o quanto amadureceu , acho a palavra certa seria se transformou e permitindo que eu aprenda com vc .
    Meu muito obrigada

    • Lola Maria 7 de Fevereiro de 2014 às 23:12 #

      Confesso que fiquei muito lisongeada com este comentário. Muito obrigada mesmo. E com certeza todos os comentários são muito bem vindos. Eu amo todos eles! E sim, realmente você usou a palavra certa, eu estou me transformando. Cada dia tem sido de mais aprendizado e mais conquistas. Só para se ter uma idéia, semana passada eu estava chorando de felicidade porque eu consegui lavar o cabelo sozinha. (imagina a cena né?)
      Mas a cada pequena conquista, eu choro, agradeço, sorrio e vibro. Porque isto significa que apesar de tudo eu estou viva.
      Mais uma vez, muito obrigada por teu comentário. E adoraria ouvir mais de você aqui.
      Super beijo
      Lola

  4. Paula Oliveira 4 de Fevereiro de 2014 às 5:08 #

    Eu vou falar o mesmo que o Manô: nesses posts seus eu vejo o quanto vc amadureceu, o quão ordenado estão os seus pensamentos. Isso é bom, querida. Como quando o passo mais importante é reconhecer o nosso fraco. O futuro te reserva coisas lindas demais, então não fique amarrada ao passado.

    Eu me emocionei com a mensagem que vc me enviou hoje. Sobre coisas boas estarem a caminho. Preciso te dizer o mesmo. O Senhor tem muitas bênção para te dar.

    Beijo carinhoso

    • Blog do Óbvio - Manoel 4 de Fevereiro de 2014 às 5:11 #

      Essa Paulinha é uma fofa mesmo!
      Beijos, Manô

      • Lola Maria 7 de Fevereiro de 2014 às 23:08 #

        Ela é tudo de bom Mano! Um exemplo de mulher guerreira!

    • Lola Maria 7 de Fevereiro de 2014 às 23:08 #

      Pulinhaaaaaaaaaaaaaaaaaa,
      A mensagem me veio pela manha em minhas orações. Tenha fé! Que o teu está realmente a caminho. E quando chegar será duradouro e cheio de realizações.
      Vc sabe que mora em meu coração. E sempre a tenho em minhas orações. E jogando agora 2 bilhetes na lotto para ganhar logo e você vir me visitar.
      Beijos

      • Paula Oliveira 8 de Fevereiro de 2014 às 0:58 #

        Améeeem!
        Eita lê lê, dois bilhetes agora. Vamos que vamos. rsrs.

        • Lola Maria 8 de Fevereiro de 2014 às 19:25 #

          Lógico que sim!!! Ganhando na loto pode tratar de arrumar as malas que tu vem para a Alemanha e depois vai para a Irlanda.
          risos

  5. Blog do Óbvio - Manoel 4 de Fevereiro de 2014 às 4:48 #

    Lola, pela postagem que você fez a gente percebe que você está com uma cabecinha bem em ordem. Concordo com tudo o que você escreveu e até aprendi bastante porque ninguém é perfeito a ponto de não ter escorregado em nenhum dos quesitos que você enumerou.
    O ótimo de tudo isso é que você tem um gênio muito bom e quando a “ira” ataca você pondera e vê os prós e os contras. Tem seus objetivos bem definidos e pode até ser considerada uma heroína por tudo que passou desde essa queda que você teve. Os diagnósticos preocupantes… e por aí vai. O bom é que a mãe “puxou as orelhas” e você reagiu bem e continua reagindo (sei que não está sendo fácil) e do jeito que anda vai ser mole para você. Adorei seu post.
    Um beijo carinhoso e terapêutico no joelhinho para sarar logo. Ganhe logo na lotto porque se ganhar você prometeu que vai me conhecer( legal!).
    Outro beijo,
    Manô

    • Lola Maria 7 de Fevereiro de 2014 às 23:06 #

      Mano,
      Vc é realmente medicinal, risos. O beijo chega aqui e o joelho deixa de doer. Muito obrigada!
      Mas é isto mesmo, a idade nos faz aprender a ponderar e não atacar. Agora a Mamãe puxa as orelhas mesmo, mas o amigos aqui nos levantam o astral e nos faz querer continuar a buscar uma reação positiva.
      Agora, vamos cruzar os dedos para a Lotto assim, você e a Paulinha vão vir aqui me conhecer. AMO a idéia!
      beijos e + beijos

  6. Christine Marote 4 de Fevereiro de 2014 às 4:21 #

    Eu não gosto definitivamente dessabora, o grito. Hahahahaha. Ela me angustia desde sempre. E o que me vem à mente é: eu não quero, em nenhum momento d minha vida chegar num ponto de angústia desse que o quadro retrata.
    Bom, mas dentro do que acredito e na minha caminha rumo aos 50… Hehehe, posso te dizer que essa sua decisão de tirar o peso morto das costas é genial.
    Com certeza você não vai esquecer o que te fez sofrer, mas se perdoar pelas suas escolhas e encarar que o seu sofrimento também te ensinou alguma coisa, faz uma diferença enorme.
    Siga em frente… Vc verá o quanto esse exercício te fará bem com o passar do tempo.
    Ahhh, e alimentar o ódio, maus sentimentos por pessoas ou situações, além de só te encher de mas energias, te prende a uma situação que já foi, é como tomar veneno e achar que está matando o ‘inimigo’. Só que quem está morrendo somos nos mesmos com essa atitude.
    Feliz ano do cavalo.
    Beijo

    • Lola Maria 7 de Fevereiro de 2014 às 23:03 #

      Chris,
      Muito obrigada por tuas palavras. Elas sempre chegam na hora certa. E esta imagem é justamente isto que você falou a angustia que venho vivendo, sem saber que rumo tomar e qual decisão tomar. Mas acho que já estou chegando a algumas decisões. E definitivamente este peso morto tem que ser enterrado e esquecido.
      Só assim vou conseguir chegar a minha bolinha com a plenitude que desejo.
      Um beijo enorme.
      ps: Minha cartinha chegou? to curiosa.

      • Christine Marote 8 de Fevereiro de 2014 às 11:36 #

        Oi Lola, que bom que meus devaneios podem servir para alguma coisa…hehehe
        Acabei de chegar das Phillipines e ainda não abri minha caixa de correio. Mas como aqui estava tudo off até dia 6, não se preocupe… essa semana que entra deve chegar. =]

        • Lola Maria 8 de Fevereiro de 2014 às 19:24 #

          Chris,
          vc nem imagina o quanto seus conselhos me são úteis. Obrigada de coração.
          Beijos

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: