Tag Archives: Desabafo

O Bolo e as Amizades

21 Dez
 Ilustração: Bruno Nunes Revista Sorria

Ilustração: Bruno Nunes
Revista Sorria

Eu recebi visita que me deixou feliz, (aqui na Alemanha a maioria das visitas já vem com a comida) A vizinha da minha amiga veio me visitar junto com os filhos. Fiquei até emocionada, pois ela é a vizinha de uma amiga, que só nos vemos quando eu vou a casa da minha amiga.

Como eu disse, ela trouxe um bolo de queijo (que eu amoooooooo) para tomarmos café juntas e bater um papo. Mas porque isto é assunto de post?Bem, porque conversando pelo Skype, com uma amiga no Brasil  ela me disse que precisou fazer uma cirurgia de emergência e um outra amiga em comum se colocou a disposição para ficar com ela por 4 dias (gente 4 dias). Resumindo (eu sei sou muito prolixa… desculpem), a tal “amiga” sempre inventava uma desculpa e quem acabou cuidando dela foi a filha de 10 anos.

Lamentei por não poder ajudá-la, ela disse que realmente eu fiz muita falta (modéstia parte meu curso de enfermagem pelo Instituto Universal Brasileiro (risos) foi bem feito (mentira né…) Mas posso cuidar de uma amiga convalescente.

E quase sempre ouço de conhecidos a seguinte frase, ai como você está se virando? Alemão é tudo fechado, eles são muito preconceituosos e difícil de fazer amizades, inclusive já li vários outros post de pessoas falando sobre a dificuldade de se fazer amigos. E alguns dando conselhos me atrevo a dizer ridículos, como comece a fumar, a beber… Gente não precisa nada disto né.

Sabe por qual razão você tem mais amigos no Brasil do que na Alemanha? Porque você quer.

Primeiro Alemão adora brasileiro, adora a nossa cultura, (apesar de muitos ainda acharem que falamos espanhol, o ritmo salsa vem do Brasil e que existem cobras e macacos nas ruas no Brasil). Mas em geral, somos muito bem tratados aqui. E Segundo, quem disse que no Brasil também é fácil fazer amizades? Conhecidos talvez, mas amizades sólidas, acho que não.

Para não elogiar 100% o povo aqui, já ouvi uma vez que brasileiro(a) ou é jogador de futebol ou “profissional do sexo”, eu vou logo avisando que comecei a jogar futebol aos 5 anos de idade. Da-lhe Flamengo (mesmo quase indo para a série B) Uma vez Flamengo sempre Flamengo! Sou apaixonada por futebol! ( e isto é verdade mesmo…)

Uma coisa eu falo com conhecimento de causa, aprenda o idioma, dê o máximo de si para aprender o idioma, aqui na Alemanha eles valorizam demais, leia-se DEMAIS bem grande, os estrangeiros que se abrem para a cultura deles. Somos nós que estamos aqui vivendo no País deles, nós que temos que nos adaptar e não eles se adaptarem a nossa cultura.

Eu graças a DEUS tenho bons amigos aqui na Alemanha, confesso que não procuro comunidades brasileiras, isto limitaria a minha necessidade de aprender o idioma. Eu entendo que a maior barreira para um estrangeiro, é o idioma. Como fazer amigos sem ao menos iniciar um dialogo?

Então eu só tenho um único conselho para todos, aprenda o idioma do novo país de vocês, assim você terá grandes chances de fazer nova amizades. E lembre-se  nunca tenha medo de falar. Mesmo que erre, continue tentando. Quando você perceber, já estará conversando sobre tudo; Muito dos “gringos” também não falam fluente o nosso idioma, não é mesmo?

Acho que 2013 foi o ano que precisei falar muito, e o pior em alemão, foram tantas brigas, discussões, e dúvidas a serem esclarecidas. E sempre a males que vem pra bem… Hospital, Clinica de Reabilitação me fez aprender alemão por livre espontânea pressão e ainda me rendeu amigos que espero poder seguir em 2014 com a companhia deles.

Aqui na Alemanha eu estou aprendendo o melhor significado da palavra amizade, não esperam nada em troca  a não ser a tua amizade também, pessoas que não tem a minima obrigação comigo, mas estão sempre ao meu lado, me dando força, me ajudando nos probleminhas do dia a dia, me dando um abraço carinhoso quando eu estou com o coração apertado.

Só um curto exemplo, quando eu operei o meu ombro, logo que fui para quarto fui surpreendida com os meus vizinhos lá já me esperando. E no final de semana após a cirurgia do joelho, a família do primeiro andar estava lá completa com direito a desenho. e olha que nos apenas nos cumprimentamos dentro da política de boa vizinhança.

Agora lembra da Amiga Brasileira no início do Post? Não pode contar nem com uma amiga que vive na casa dela (como a Mamãe chama amigo Buteco) a mais de 5 anos.

Minha conclusão, independente de onde moramos fazer amizade não é uma tarefa das mais fáceis, mas tudo depende de nós mesmos. Aprender a ouvir mais, aprender a respeitar as diferenças e espaço do outro. São gestos simples que incentivam  a simpatia entre as pessoas.

E muitas vezes, um sorriso para a pessoa que cruzamos na calçada pode ser o pontapé inicial para o início de uma amizade.

Anúncios

A tal da vida – Parte I

23 Nov

Pois minha gente, como a vida é engraçada e toma rumos que as vezes não entendemos e nem tão pouco gostamos, mas que não tem outra solução senão viver…

A exatos 2 meses atrás eu estava neste mesmo horário, saindo de uma sala de cirurgia. Dia de muitos medos, dores  e anseios. E hoje eu estou aqui sentada na frente deste computador, não para reclamar dos “desamigos” como no post anterior, ou do meu acidente ou de tudo que tem me acontecido em tão pouco tempo.

Hoje eu quero falar das novas amizades, dos novos tempos, de novos anseios e realizações. Estou aqui com carinha de pinto no lixo, sorrindo, alegre e festejando com cada uma das pessoas que aqui estão, com seus problemas, suas dores e lutando para se recuperarem como eu.

E sabe o que mais fantástico de tudo isto? É perceber a solidariedade e carinho das pessoas comigo. Antes de vir para cá eu estava com tanto medo, uma mistura de medo, insegurança, desconforto, desconfiança e ansiedade. De não ser bem acolhida, das pessoas me destratarem, mas nem pelo fato de ser brasileira, mas por ser estrangeira. Aqui na BAVIERA, eles são bem bairristas, na verdade as pessoas aqui dizem que eles não apreciam até mesmo os alemães que vem de outra região da Alemanha. Tem até quem ouse dizer que  a Baviera é um estado “à parte”.

Meu outro medo é o idioma, eu não falo o idioma fluentemente, mas não me aperto e faço praticamente tudo sozinha em alemão, me nego a conversar em Inglês. Afinal, só chegarei a fluência com treino e  mais treino. E em 1 ano aqui na Alemanha até que eu posso me gabar um pouco, afinal eu consigo até brigar com o médico em alemão e melhor ser entendida. risos…

Mas, bem como estava dizendo, estava com muito medo, e hoje eu me sinto tão triste quando tenho que me despedir de uma pessoa que está Graças a DEUS indo para casa. Acabamos criando uma cumplicidade aqui dentro, as pessoas gostam de mim, conversam comigo, me ajudam empurrando minha cadeira quando preciso ir para a fisioterapia (aqui chama-se Krankengymnastik) porque até chegar a sala da fisio eu preciso “escalar” um morrinho e com a minha cadeira é complicado ela só tem apoio para rodar pelo lado esquerdo, também meu lado direito está em fase de recuperação, não iria adiantar em nada.

Eu me sinto querida, bem tratada e principalmente respeitada por todos. E isto foi uma lição muito grande. Hoje ao me despedir de uma Senhora que me recebeu como uma filha aqui, cuidou de mim durante toda esta primeira semana que eu estou aqui, chorei muito pois ela me disse a seguinte frase:

 – Quando você sair daqui eu quero ir te visitar, aqui está meu telefone, por favor me ligue. E por favor me chame pelo meu nome, não vamos nos tratar com formalidades afinal agora somos amigas. (aqui existe uma formalidade muito grande o tal do DU e SIE )

Ela deu um sorriso e completou, amigas de dor mas também de superação. Muito obrigada por me fazer sorrir e esquecer que isto aqui é na verdade um hospital disfarçado de Hotel Clinica. Desabei e comecei a chorar… Foi lindo né?

Bem, ela já deve estar a caminho de casa, e eu estou triste e feliz ao mesmo tempo, é um turbilhão de sentimentos eu sei.. Mas este deve ser o sentido da vida. Não que eu seja fã de Pedro Bial, pelo contrário tenho pouca simpatia pela pessoa, mas ele disse a seguinte frase:

Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é. Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: Ninguém é o mesmo para sempre. Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar, e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido. A estrada é longa e o tempo é curto. Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as conseqüências destas ações. Lembrem-se: suas escolhas têm 50% de chance de darem certo, mas também 50% de chance de darem errado. A escolha é sua…

E ele tá certo né, a escolha é nossa…

Eu escolhi que quero ser feliz, agora mais que nunca, por que a vida é mesmo curta, e infelizmente não existe forma de se voltar no tempo, ou passar a limpo quando insistimos em fazer a vida de rascunho. Só para ter uma curta ideia, o médico disse que eu não posso mais dirigir, nadar, frequentar discotecas, beber bebidas alcoólicas, acho que só faltou ele me proibir de também ser mulher….

Nada de chororo, a ordem aqui é ser feliz mesmo sem carro, praia, bebidas e danças.. Até porque existem muitas outras coisas interessantes para se fazer na face da Terra não é mesmo? Já tá pensando saliência né coisinhas… KKKK, tá eu também pensei, mas só um rápido minutinho…

Mas to aqui ainda pensando no idioma aqui que me mata… Não tá entendo o porquê?

Olha este videozinho aqui e depois me fala… Porque sempre falamos que aprender alemão só não resolve, temos que aprender o alemão e o dialéto. kkkkkkkk.

E para terminar o post deixo uma frase da ucraniana, Brasileira naturalizada Clarice Lispector, que diz:

Encontrar-se consigo própria era um bem que ela até então não conhecia. Acho que nunca fui tão contente na vida, pensou. Não devia nada a ninguém e ninguém lhe devia nada. Até deu-se ao luxo de ter tédio – um tédio até muito distinto.

 

Prisão Maior

21 Nov

timthumb

Fábio de Melo diz: ‘ A maior prisão que podemos ter na vida é aquela quando a gente descobre que estamos sendo não aquilo que somos, mas o que o outro gostaria que fossemos. (…) estamos mais preocupados em saber o que outro pensa sobre nós, do que necessariamente nós sabemos sobre nós mesmos’

Pois bem, eu cansei de viver presa, já me basta esta vivendo presa a uma cadeira que não sei quando irei poder me levantar, já que meu ombro ainda não calcificou o que deveria ter calcificado… Tenho que esperar até a vontade do osso. Aí é osso né?

Mas, com o Úmero não calcificado eu não posso começar a usar as muletas, e assim não posso começar a caminhar… ai vou parar por aqui porque já criou um circulo vicioso esta história.

Meus nervos ainda estão totalmente problemáticos, fazendo meu pé e perna dormente, agora estou fazendo eletroterapia para nem sei o que… Isto realmente funciona para rompimento nos nervos?

Em relação a minha convulsão no domingo retrasado, o médico disse que existe 50% de chance de ser do Angioma Cavernoso, mas não descarta 50% de chance de ser efeito colateral do comprimido TRAMADOLOR no Brasil também conhecido por TRAMAL, ou o genérico que possuí o nome da substância ativa Cloridrato de tramadol.

Mas por que 50% de chance do remédio, pois após a suspensão do tratamento com Tramal retard, em casos raros, doentes a tomar Tramal retard durante períodos prolongados podem sentir-se mal se interromperem abruptamente a administração. Podem sentir-se agitados, ansiosos, nervosos ou com tremores. Muito poucas pessoas poderão apresentar ataques de pânico, alucinações, percepções anômalas de comichão, tremor e adormecimento.

Mas, eu estou satisfeita com a nova avaliação médica, o novo neurologista super competente e profissional, ele acatou  a minha decisão de não tomar remédios para epilepsia, já que eu nunca tive nenhum problema do tipo, mas com uma condição que eu assinasse um termo dizendo que entendia dos riscos, e que eu repetisse a ressonância magnética (que por sinal aqui na Alemanha se chama kernspintomographie) daqui a 6 meses.

Ele disse que sem remédio, vamos ter que controlar rigorosamente, mas puxa já é um alivio muito grande, saber que não preciso raspar o cabelo e me operar em 4 (agora 3) semanas… E quanto ao angioma, se houver sangramento em pequena quantidade que o próprio organismo consiga absorver, não é necessário uma cirurgia tão imediata.

Enquanto isto, os únicos remédios que eu tomo regularmente são os para o fígado e a injeção contra trombose, pois como sofri um Politraumatismo e passo maior parte do tempo sentada ou deitada, tem que se prevenir…

Mas hoje reaprendi um truque básico que todas nós já conhecíamos de nossas longas viagem Brasil x Europa,

  • Exercício quando sentado por muito tempo ( e/ou sem poder levantar) – flexione e rode os tornozelos ou pressione os pés contra o assento da frente, ou tente levantar e abaixar seus tornozelos. Nunca sente com as pernas cruzadas por muito tempo.

Aqui na Clinica de Reabilitação Ortopédica é tudo muito bom, todos muito educados, mas pelo amor que comida complicada, não que seja ruim, mas não é o meu paladar. eu não como carne vermelha, e nem todo dia tem peixe, e a comida vegetariana é com uns “verdinosos” que eu também não sou lá muito chegada, resultado capricho no café da manhã para poder aguentar o tranco se o almoço não for lá estas coisas.

Fico só mesmo na saladinha básica e aguardando o jantar… Mais um circulo vicioso aqui…

Então como prometi, manter um boletim médico… Só que prometo não encher a paciência de vocês com tanto assunto de doença.

Bem, mas vocês devem estar se perguntando o porque da foto da vassoura no inicio do post, (que por sinal foi retirada do bing imagens), bem porque lembra daquele pendrive perdido que eu encontrei, então hoje eu “futucando’ os arquivos encontrei um poema de Drummond que eu amo e queria compartilhar com vocês.

Faxina na Alma
Não importa onde você parou, em que momento da vida você cansou…
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo; é renovar as esperanças na vida e o mais importante; é acreditar em você de novo!
Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado…
Chorou muito? Foi limpeza da alma…
Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia…
Sentiu-se só por diversas vezes? É porque fechaste a porta até para os anjos…
Acreditou que tudo estava perdido? Era o início da tua melhora…
Pois é, agora é hora de reiniciar, de pensar na luz, de encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Um corte de cabelo arrojado… diferente? Um novo curso… Ou aquele velho desejo de aprender a pintar, desenhar, dominar o computador ou qualquer outra coisa…
Olha quanto desafio!! Quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando.
Tá se sentindo sozinho? Besteira… Tem tanta gente que você afastou com o seu “período de isolamento”… Tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu para “chegar” perto de você.
Quando nos trancamos na tristeza, nem nós mesmos nos suportamos… Ficamos horríveis!! O mal humor vai comendo nosso fígado e até a boca fica amarga.
Recomeçar…
Hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você quer chegar? Ir alto… Sonhe alto… Queira o melhor do melhor… Queira coisas boas para a vida…
Pensando assim trazemos pra nós aquilo que desejamos…
Se pensamos pequeno, coisas pequenas teremos!
Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar na nossa vida.
Somos do tamanho daquilo que vemos, e não do tamanho da nossa altura!!

(Carlos Drummond Andrade)

Agora me diz este poema não tem muito em comum com o momento que eu venho vivendo?? Gente, impressionante como tudo tem uma explicação pura de ser… E como eu disse no começo, eu cansei de viver presa. Eu agora quero correr atrás dos meus sonhos ou pelo menos os sonhos que ainda tenho chance de realizar. Nada mais de adiar, pois eu tinha tantos planos para os meses de outubro e novembro e uma escada em meu caminho

E no caminho tinha uma escada

31 Out

Como todos já sabe eu cai da escada, quebrei o Úmero e a Tibia, fiz duas cirurgias e agora estou lutando para voltar a andar e levantar meu braço.
E semana passada minha amiga veio me visitar e me perguntou como eu consigo rir sentindo tanta dor. A resposta é simples, DEUS!

Quando acreditamos que Deus está ao nosso lado não existe dor que resista, a minha caminhada agora será longa, a recuperação não está sendo nada fácil, as noites tem sido longas e dolorosas.
Hoje quase 2 meses após o meu “beijo na escada”, muitas dúvidas. Muitas perguntas sem respostas.
E é nesta hora em que realmente vemos e imaginamos coisas que nunca paramos para pensar na vida.
Será que voltarei a andar? E, se voltar, ficarei mancando? Minha perna ficará mais curta que a outra?
Será que meu braço poderá segurar meus bebes (que um dia pretendo ter)? Vou poder movimentar meu braço novamente?
Como será minha vida daqui para frente?
Medo…Confesso que tive mais medo. Mas hoje estou confiante.

Recapitulando do dia do acidente até hoje posso dizer que o tempo no hospital parece uma eternidade. Se para pessoas que falam o mesmo idioma já é dificil imagina quando não se fala fluentemente o idioma dos médicos e das enfermeiras. (mas posso dizer que até que consegui fazer um intensivo de alemão nestes 17 dias, aprendi várias novas palavras e me sai bem, entendi e fui entendida).

A Primeira semana após as cirurgias, reposo total. Muita medicação forte para aliviar a dor que incomoda bastante.
E muita paciencia para conseguir ficar na cama o dia todo. Receita não existe, cada um sofre e fica feliz a seu modo.  O maior segredo(se é que podemos chamar de segredo) é tirar proveito desse momento forçado de pausa.

Bilder4

A 2ª semana: A depressão insistia em se instalar, a dor ainda é constante. O braço e a perna estão “entalados” para  evitar movimentos bruscos. A televisão, livros e revistas meus melhores amigos.

Ainda tinha noites sem dormir,  e o pior é ter que “tentar” dormir de barriga para cima, confesso que eu não sei dormir assim, então outra adaptação. E quando conseguia adormecer, dava trancos com a perna, onde acordava gritando e chorando de dor.

A medicação ainda é bem forte, e por enquanto apenas gelo e massagem.

A 3ª semana:  Finalmente retornar para casa, mas é agora que as coisas melhoram e complicam. Melhoram por estar em casa e poder passar meu tempo com as minhas coisas, sem toda hora ficar entrando uma pessoa estranha em meu quarto, sem eu precisar sorrir quando minha dor é maior que qualquer outro sentimento.

E ruim, por que agora o cuidado deverá ser triplicado, pois estou em casa e qualquer emergência não será tão rápida controlada. (até a ambulância chegar e eu conseguir estar no hospital, são quase 22 km de distância…)

Mas comecei a fisioterapia 3x por semana, estou fazendo a 3x por dia por 30 minutos a flexão da perna em 60 graus com ajuda de um aparelho de flexão. E medicação e injeção contra trombose (esta muito importante, vou precisar por no mínimo 3 meses).

IMG_20131028_093905

4ª Semana: Peço a Deus paciência e sabedoria para lidar com o tempo extra e a frustração decorrente da limitação. Mas é melhor ficar em repouso do que forçar para andar, pressionando a perna e depois ter sérios problemas.

Esta semana foi complicada, acreditem que os maqueiros da Cruz Vermelha, me deixaram cair na escada? Resultado bati o ombro operado na parede, e vou precisar ficar mais semana com a tala, o que seriam 6 semanas agora são 7 semanas.

Após revisão da cirurgia, volto do Hospital para casa otimista, mesmo ainda achando que a cirurgia foi um ato extremo, mas agora isto é passado, A calcificação do osso é muito importante na recuperação e segundo o médico está tudo dentro do esperado.

A dor ainda é enorme, principalmente a noite, mas neste ponto tudo que precisamos para nos recuperar 100% é paciência e perseverança.

A 5ª Semana: Bem, posso dizer que já comecei a semana com bastante dor, meu pé está queimando de dor, o médico disse que isto é bom sinal, significa que minha lesão nervosa está reagindo bem.

Sim, após a cirurgia do joelho, eu tive uma lesão nervosa, o que é isto? Bem, nas cenas dos próximos capítulos eu explico. Senão o post vai ficar muito longo.

Deus não nos dá peso que não podemos carregar…e a lição que eu carrego desde então e viver cada dia como um milagre de Deus.

 

Seguindo e vivendo

28 Out

Todos estes últimos acontecimentos em minha vida me causaram a maior dor que já senti, uma dor que ultrapassa a dor física. Uma dor que não me permite pensar, ponderar, escrever … É um vazio em meu coração. Arrancaram algo de dentro de mim, mas esqueceram de me anestesiar.

Mas o que sempre escutei foi que aquilo que não nos mata, nos fortalece.

E é isto, eu quero me fortalecer, pois é com certeza isto que meu Pai desejaria que eu me recupere e possa voltar a minha vida de sempre, aliás, isto é algo que eu não quero, eu quero começar uma nova vida.

Tempo de viver coisas novas_

Eu quero rever metas, planos e ideiais. Não vou mais deixar para depois o que eu posso viver hoje. Eu adiei tantas planos em minha vida e agora estou aqui presa em uma situação que tenho orado e batalhado para reverter.

Poderia fazer aqui uma lista das 100 coisas que gostaria de fazer antes de morrer, mas com certeza a lista se tornaria apenas mais um plano em minha vida. A partir de agora nada de planos, e sim “LUZ, CAMERA E AÇÃO”!

Pretendo fazer sim a lista das 100 coisas que fiz (antes de chegar meu dia…).

A saudade sera eterna, as lembranças a melhor companheira e o blog continua.

Amado Pai

25 Out

Esta é uma dor que só mesmo quem já passou pela mesma perda pode imaginar, eu posso dizer que sou uma pessoa muito abençoada por DEUS, apesar de todas as provações que eu venho passando neste curto período eu não estou revoltada, odiando o mundo ou me sentindo injustiçada por DEUS.

Muito ao contrário, eu me sinto mais abençoada que nunca, pois eu sei que mais do nunca DEUS está aqui ao meu lado, zelando e cuidando de mim.

O meu Pai era um homem muito religioso e me ensinou que em todos os momentos de nossa vida a fé nos fortalece. A perda do meu Pai dói, mas do que qualquer dor física que meu acidente causou.

Quando acreditamos que existe um plano maior se torna fácil aceitar certas quedas da nossa vida. Eu imaginei ter  força  suficiente quando este dia chegasse, sempre tive muito medo de perder meu Pai, mas na situação em que meu Pai estava posso dizer que DEUS provou mais uma vez sua misericórdia e amor por nós, mostrou que ele é fiel com os que os serve.

E eu digo aqui, muito obrigada meu DEUS por me abençoar com um Pai tão amoroso, tão presente, tão honesto, que me mostrou e ensinou a amar a DEUS sobre todas as coisas.

Pai, muito obrigada por me aceitar e amar com todas as minhas falhas, por sempre me colocar em primeiro lugar em suas prioridade, por nunca me deixar faltar nada me dando sempre do bom e do melhor.

Muito obrigada por nunca virar as costas para mim, e sempre quando eu voltava para casa com minhas “sarnas” me ajudou a coçar… Nunca fechar estes lindos olhos verdes para mim…

Hoje vivo no dia a dia que Deus planejou para mim. Encontrando o o conforto na minha fé.

Uma vez li este texto e hoje ele é exatamente o que quero dizer:

Pai,

Eu posso não ser tão boa quanto você nas coisas que faço, que aprendi… mas acredite, eu tento…e se um dia, eu for mãe, passarei para os meus filhos tudo o que você me ensinou. Meu exemplo de vida, meu herói, meu maior orgulho. Sete letras e 3 palavras apenas. Eu te amo.

E apenas para ficar bem claro para mim mesma, não vou nunca dizer adeus e sim um ATÉ UM DIA, porque Papai o senhor foi apenas na frente e um dia nos reencontraremos e poderemos matar esta saudade que me mata.